fbpx
+55 (27) 3371-6161 | +55 (27) 999467092 hydra@hydrairrigacoes.com.br

DÚVIDAS FREQUENTES

 

Existe uma área mínima necessária para a elaboração de projetos de irrigação?

Não há limitações de área para se implementar um sistema de irrigação.  É necessário que sejam repassadas à equipe da Hydra as informações básicas para a elaboração do projeto, como tipo de cultura e área, entre outras. Para áreas pequenas, o nível de exigência é menor, e não são exigidos itens como planta topográfica, no caso de áreas planas.

O que é necessário para fazer um projeto?

A planta topográfica (plana e altimétrica) é um dos itens principais. Também são necessárias informações sobre a cultura, o espaçamento (distância entre as plantas e as linhas de plantio) e o sistema de irrigação desejado. O ideal é que também se faça a análise da água. Além disso, é preciso informar se as fontes de água e de energia estão disponíveis em tempo integral para fazer a irrigação da área.

A Hydra faz projeto de irrigação para jardins?

Sim. Temos vários trabalhos realizados em jardins, principalmente em áreas industriais. Se você quiser conhecer uma das unidades em funcionamento, entre com contato com a gente por um dos nossos canais de atendimento.

Qual o melhor sistema de filtragem?

É preciso fazer uma avaliação da qualidade da água para verificar o sistema de filtragem adequado. Para águas com cargas orgânicas muito altas, recomendamos o filtro de areia de boa qualidade, proveniente de fornecedores de confiança. Fora isso, os de disco são mais adequados e muito seguros

Como saber a quantidade de tensiômetros necessários para a minha propriedade?

O número de tensiômetros adequado depende da quantidade de espécies vegetais que você quer monitorar. Em regra geral, é necessário pelo menos um para cada cultura. Porém, se houver um só cultivo, mas com idades diferentes ou espaçamentos distintos, é preciso instalar um aparelho para cada condição específica.

Outro ponto importante a ser observado é a existência de tipos de solo diferentes no mesmo local. Deve ser feita a previsão de um sensor para cada um desses ambientes.

Qual o produto mais indicado para limpar sistemas de irrigação?

Não existe uma solução que seja definitiva e única para todos os problemas. A sujeira do gotejador é proveniente dos produtos que são injetados no sistema, como fertilizantes, defensivos agrícolas e uma série de outras substâncias que podem ser agregadas à água. É preciso identificar o problema para aplicar a solução adequada.

Produtos de limpeza do sistema de irrigação prejudicam as plantas?

Se o tratamento químico de limpeza do gotejador for feito sob orientação de um profissional qualificado, não vão ocorrer danos, pois as doses e concentrações dos produtos indicados não geram prejuízos à plantação. É necessária a realização de um serviço técnico com correta orientação.

Qual o prazo de garantia dos equipamentos usados nos sistemas de irrigação?

A garantia é definida pelo fabricante e muda de acordo com o produto. Na maioria das vezes, é de um ano. Em relação à durabilidade, pode ultrapassar os 20 anos sem apresentar problemas de funcionamento. Como em qualquer máquina, a performance e a longevidade variam conforme o grau de manutenção recebida.

O gotejamento gera economia de água?

Sim. A economia de água é de, no mínimo, 30% em relação aos sistemas de irrigação convencionais pressurizados, que são aspersão e pivô central. Isso é possível porque a água é entregue na raiz das plantas (único órgão responsável pela absorção de água), sem interferência de nenhuma outra estrutura. Essa proximidade é o que torna o gotejamento mais eficiente, reduzindo o consumo.

Por que tem que fazer a análise da água para irrigar?

A análise é de extrema importância para a sobrevida e a longevidade do sistema de irrigação, bem como para conhecermos as intervenções e interferências que ela pode gerar no solo e na planta. Existem águas que têm características químicas que as tornam inviáveis para sistemas de irrigação ou para uso animal ou vegetal. Outro fato é que alguns elementos químicos podem produzir riscos de obstrução dos gotejadores. Os mais comuns são ferro, cálcio e manganês.

A topografia pode limitar a irrigação?

Geralmente não limita. Existem algumas características geográficas que têm de ser observadas sob o ponto de vista agronômico, mas nada que impeça o funcionamento adequado do equipamento, ou não deveria impedir. A qualidade do projeto vai definir o desempenho da tecnologia no campo. Bons projetos e aparelhos adequados têm de funcionar na mesma condição em áreas acidentadas ou planas.

Em quais tipos de solo o gotejamento tem melhor desempenho?

Quando o projeto é bem feito, em qualquer ambiente o gotejamento alcança uma performance semelhante. O tipo de solo define a vazão dos gotejadores e a distância entre eles para que haja a formação da faixa contínua. Essa avaliação deve anteceder o projeto de irrigação. Chamamos os testes que nos levam a essa conclusão de “Teste de Bulbo”. Por meio deles, avaliamos o comportamento da água no solo onde será instalado o projeto.

É possível mudar o meu sistema de irrigação atual para o gotejamento?

Na maioria das vezes, é possível substituir qualquer sistema de irrigação pelo gotejamento, com algumas alterações relativamente simples. Mas outras perguntas devem anteceder essa resposta: quais são as limitações ou os problemas que o seu sistema de irrigação atual tem? A substituição pelo gotejamento vai solucioná-los? É importante que uma pessoa com conhecimento de projetos faça essa avaliação.

Qual é o valor por hectare?

O custo por hectare de um sistema de irrigação depende de uma série de fatores: topografia, desnível entre a área e o local de captação e a distância desse ponto até a área irrigada, além do tamanho dela. Projetos maiores têm o custo por hectare mais baixo do que projetos menores. É o que chamam de efeito escala: o custo das estruturas em áreas grandes é diluído. Os valores variam entre R$ 6 mil e R$ 10 mil, dependendo da complexidade do local, do espaçamento da cultura e do gotejador usado.

Como funciona o pós-venda?

O pós-venda consiste na orientação do proprietário e de sua equipe sobre como manejar, dar manutenção e fazer fertirrigação nos sistemas de gotejamento. Na Hydra, esse trabalho é realizado por um engenheiro agrônomo. Com essa série de instruções, objetivamos dar a maior longevidade possível ao sistema, para que ele não perca as características iniciais de funcionamento.

Temos o compromisso de atender e de dar suporte agronômico ao cliente durante seis meses após a entrega do equipamento. Basta que ele entre em contato conosco solicitando uma assistência e a nossa equipe o atenderá o mais rápido possível.

Para que serve o tensiômetro?

Tensiômetros são sensores que determinam com exatidão a umidade existente no solo e a disponibilidade de água para as plantas. Eles ainda informam o momento de irrigar e se eventualmente está ocorrendo excesso nas irrigações. Essa ferramenta é a mais prática e de melhor custo-benefício na hora de orientar uma pessoa sobre quanto e quando irrigar.

Posso usar tensiômetro em qualquer cultura?

Sim. O dispositivo pode ser usado em irrigações de pastagens, jardins, cana- de-açúcar e também em grandes cultivos, como manga, coco, cacau e plantas de maior porte. Não importa o tipo de cultura e nem de solo. O tensiômetro vai te passar todas as informações necessárias.

Posso usar tensiômetro em qualquer sistema de irrigação?

Sim. Os tensiômetros podem ser utilizados desde o gotejamento até o pivô central. O que muda é o local de monitoramento em relação à posição do emissor e da planta. Não há restrição, é uma ferramenta que pode e deve ser usada em qualquer sistema de irrigação.

A localização do gotejador precisa coincidir com a da planta?

Ao contrário. É melhor que não coincida. A distância do gotejador tem de ser tal que permita que ocorra uma faixa úmida constante ao longo de toda a linha de plantio daquela cultura.  O espaçamento entre um gotejador e outro tem de permitir que essa faixa úmida seja contínua. O efeito contrário pode causar excesso de umidade junto da planta.

Posso irrigar qualquer cultura com gotejamento?

Sim. Qualquer cultura pode ser irrigada com gotejamento. Hoje existem projetos de gotejamento em café, cacau, banana, arroz, soja, algodão, milho, girassol, cana-de-açúcar, abacate, noz pecã, maçã e outras. Para fazer um bom projeto de irrigação por gotejamento é preciso que haja elevado nível de conhecimento agronômico, pois essas informações têm de ser usadas na hora do planejamento. O sistema não pode restringir o tipo de cultura e nem vice-versa.

O que é gotejamento enterrado?

A irrigação por gotejamento enterrado funciona da mesma forma que a comum. A diferença é que, nesse sistema, as mangueiras ficam embaixo do solo para evitar rupturas e acidentes causados por insetos e animais, equipamentos de campo e ferramentas, aumentando assim a vida útil dos tubos. Os gotejadores para esse fim devem ter características específicas.

Este sistema é adequado para o café?

Sim, a irrigação por gotejamento enterrado pode ser utilizada para o café, inclusive com fertirrigação, ou seja, com a possibilidade de se administrar os fertilizantes por meio da água. No plantio de café arábica, essa prática é muito difundida e empregada há bastante tempo.

IRRIGAÇÃO SUSTENTÁVEL

A TECNOLOGIA ALIADA  À PRODUTIVIDADE

1
Olá, como podemos te ajudar?
Powered by